Melhorando a Ventilação

 

Overclock

 

Dentro do processador, o funcionamento dos transistores naturalmente causa aquecimento, que é proporcional à velocidade de operação. Processadores mais antigos, como os 386 não operavam a freqüências muito altas, e justamente por isso dispensavam qualquer refrigeração especial. Os processadores modernos porém operam a velocidades absurdas. Num Pentium II 450 por exemplo, temos executados 450 milhões de ciclos de processamento por segundo, o que gera uma dissipação considerável de calor. Justamente por isso, a partir dos 486 DX, todos os processadores usam uma chapa metálica e um pequeno ventilador, com o objetivo de manter o calor sobre controle.

Quando fazemos overclock porém, muitas vezes só o cooler não é suficiente para conter o aquecimento do processador, principalmente se o cooler for de baixa qualidade, como os que costumamos ver a venda aqui no Brasil. O objetivo deste capítulo é justamente ensiná-lo várias técnicas que podem ser usadas para manter o seu processador de "cabeça fria". Mesmo que você não pretenda fazer overclock, estas técnicas podem ser úteis para baixar a temperatura de operação do seu processador, ganhando em estabilidade e aumentando sua vida útil, o que é particularmente aplicável nos processadores AMD mais antigos e nos Cyrix que costumam apresentar um aquecimento considerável mesmo nas suas freqüências normais de operação.

Pasta Térmica


Caso encaixemos o cooler diretamente sobre o processador, inevitavelmente ficará uma camada de ar entre ambos, que dificultará a dissipação do calor. A fim de conseguir uma transmissão mais perfeita de calor, podemos usar entre o processador e o dissipador uma pequena quantidade de pasta térmica, que é uma pasta branca, com consistência de pomada, que pode ser encontrada sem grande dificuldade em casas de materiais elétricos ou eletrônicos, a preços módicos.

A pasta térmica deve ser aplicada em pequena quantidade sobre a área do processador que irá ficar em contato com o cooler.



O uso da pasta térmica realmente ajuda muito a dissipar o calor gerado pelo processador, e como não traz absolutamente nenhuma desvantagem, seu uso é bastante recomendável.

A fim de aumentar a circulação de ar dentro do gabinete, podemos encaixar um, dois ou mesmo três exaustores dentro do gabinete. Estes "ajudantes" complementam o trabalho do cooler e do ventilador da fonte, mantendo não apenas o nosso processador, mas todos os demais componentes do micro funcionando a temperaturas seguras.

Você encontrará uma boa variedade de exaustores específicos para isso em lojas de materiais elétricos ou mesmo algumas lojas de informática. Outra opção é usar exaustores de fontes queimadas, que podem ser compradas a preços módicos nos sucatões de informática.



Os plugs de energia que saem da fonte são compostos de 4 fios: os dois fios pretos centrais são os neutros, enquanto que o amarelo oferece 12 volts e o vermelho 5. Caso você opte por utilizar exaustores de fonte, deverá ligar seus fios em um dos fios neutros e no de amarelo de 12v. Caso por engano você ligue um dos fios do exaustor na saída de 5 volts, não haverá problema nenhum, apenas o ventilador irá girar a uma velocidade menor. Usando ventiladores específicos você não enfrentará este inconveniente, já que eles podem ser ligados diretamente nos plugs de energia.

Todos os gabinetes possuem uma entrada de ar na sua parte frontal, onde podemos encaixar nosso primeiro exaustor. Geralmente o gabinete não possui a furacão adequada para parafusarmos o exaustor, mas isso não chega a ser um obstáculo: basta fixar o exaustor usando pistolas de cola quente.

A colocação do primeiro exaustor na abertura frontal do gabinete já é capaz de diminuir de forma notável a temperatura do processador, sendo suficiente na maioria dos casos. Caso você tenha ficado empolgado e pretenda melhorar ainda mais a ventilação, pode colocar também um segundo exaustor na parte inferior do gabinete, jogando ar frio sobre o processador. Neste caso você poderá usar pedaços de borracha ou algum outro apoio para que o ar possa ser puxado pelo exaustor sem obstáculos. Uma dica é colocar o exaustor um pouco inclinado na direção do processador, fazendo com que o ar frio seja borrifado diretamente sobre ele. Combinado com o exaustor na abertura da fonte, este segundo ventilador é capaz de manter sob controle a temperatura do processador mesmo em um overclock agressivo.



Se você pretende congelar o seu processador, pode encaixar também um terceiro exaustor, agora com a função de jogar o ar quente para cima, auxiliando o ventilador da fonte a expulsar o ar quente para fora do gabinete. Este terceiro exaustor pode ser colocado sob a baia do disco rígido, aproveitando a abertura que lá existe para jogar o ar para cima, incrementando o trabalho dos outros dois e de quebra jogando ar frio sobre o disco rígido, ajudando a resfria-lo também. Novamente podemos recorrer a pedaços de borracha ou algum outro apoio para manter o ventilador distante o bastante da chapa de metal para o ar circular sem obstáculos.



Você não precisa usar todos estes exaustores, apenas um é mais do que suficiente na grande maioria dos casos. Você só precisará usar dois ou três exaustores caso pretenda fazer overclocks muito agressivos ou se deseja resfriar ao máximo seu equipamento.